Domingo - Manaus - 24 de janeiro de 2021 - 20:30

MANAUS-AM

Amazonense condenado a mais de 300 anos é preso em Rondônia

Billy fugiu no dia 1o de janeiro de 2017, do Compaj, durante a chacina que terminou com 56 presos mortos.

CARLA ALBUQUERQUE

Publicado em 1 de dezembro

Ele conseguiu escapar com outros 225, entre eles o irmão, Francisco Diego dos Anjos, o ‘Dieguinho’

Ftoos: PM

O fugitivo da Justiça do Amazonas, Jeanderson dos Anjos Nogueira, 33, o ‘Billy, condenado a mais de 300 anos de prisão, foi preso nesta segunda-feira, 30/11, em Porto Velho (RO). De acordo com a Polícia Civil de Rondônia, ele foi capturado por suspeita de envolvimento em crimes de porte ilegal de armas e cultivo de maconha. 

Billy estava foragido do Amazonas deste 2017, logo após a rebelião que resultou na morte de 56 detentos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). De acordo com o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), o criminoso possui 10 processos pelos crimes de homicídio, roubo, tráfico, furto e porte de armas.  Pela Polícia Civil amazonense, o homem era investigado pela pratica de ao menos 18 assassinatos. 

Em Rondônia, Billy já estava sendo investigado pelo Departamento de Narcóticos (Denarc). Ele foi localizado na tarde desta segunda-feira, na Rua Ceres, Bairro Conceição, na zona Sul de Porto Velho. O fugitivo foi encontrado armado com uma pistola calibre 380 e uma espingarda. De acordo com a polícia, a pistola pertencia a um policial penal do Estado. 

Após a prisão, os policiais do Denarc conseguiram localizar uma chácara, que Billy usava como um dos esconderijos. No local a polícia encontrou uma plantação de maconha. Além da droga e armas, uma picape e uma motocicleta também foram apreendidas. 

Billy foi preso e encaminhado ao sistema prisional de Rondônia, onde ficará à disposição da Justiça.

Fuga 
Billy fugiu no dia 1o de janeiro de 2017, do Compaj, durante a chacina que terminou com 56 presos mortos. Ele conseguiu escapar com outros 225, entre eles o irmão, Francisco Diego dos Anjos, o ‘Dieguinho’. Juntos, os irmãos são investigados por terem praticado ao menos 30 homicídios em Manaus. Dieguinho foi recapturado em janeiro de 2018.