Quarta-feira - Manaus - 12 de agosto de 2020 - 08:19

MANAUS-AM
ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Combate ao Aedes aegypti: é tempo de cuidarmos do futuro!

Com a chegada e intensidade das chuvas em Manaus, o alerta é para olharmos ao nosso redor e assim, ampliarmos o combate à dengue, zika e chikungunya

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 13 de abril - 06:00

Para isso, a Prefeitura de Manaus vem direcionando as ações para controle do Aedes aegypti

É tempo de cuidados. Administrarmos o tempo para cuidarmos de nós e dos outros é reservar um momento para cuidar da saúde. Com a chegada e intensidade das chuvas em Manaus, o alerta é para olharmos ao nosso redor e assim, ampliarmos o combate à dengue, zika e chikungunya. É neste período que essas doenças costumam aparecer. Por isso, a importância de todos serem vigilantes, evitando uma nova epidemia.

As doenças citadas acima são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, e a atenção ao combate deve ser maior até o mês de maio, já que este é o período de atenção: o calor e as chuvas são condições ideais para a proliferação do mosquito, por isso a importância de reforçar a prevenção e controle da incidência.

Para isso, a Prefeitura de Manaus vem direcionando as ações para controle do vetor, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), com ações de conscientização e parcerias com instituições públicas e privadas a fim de fortalecer o enfrentamento ao Aedes aegypti no município.

No Brasil, somente este ano, foram registrados 31.807 casos prováveis de dengue, chikungunya e zika, sendo 30.763 casos prováveis de dengue, 959 casos prováveis de chikungunya e 85 casos prováveis de zika, segundo dados do Boletim Epidemiológico nº 05, o mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde. 

Dados da Semsa mostram que, entre o mês de janeiro e o dia 20 de março deste ano, foram registrados 613 casos notificados e 193 casos confirmados de dengue. Os números revelam que houve um aumento de 138,3% de casos confirmados e de 24,1% dos casos notificados em relação ao mesmo período do ano passado. Por conta do índice de infestação predial, de 2,0%, Manaus é considerada cidade de médio risco para as doenças transmitidas pelo Aedes, que são aquelas com valores de infestação entre 1,0 e 3,9, segundo o Ministério da Saúde.

Por isso, a principal ação contra o Aedes aegypti é o combate ao mosquito, uma tarefa de todos nós. Evitar o acúmulo de água é a atividade mais importante nessa empreitada, uma vez que o mosquito deposita seus ovos em recipientes ou locais cheios do líquido. Aqui vão algumas dicas que podem ajudar todos, principalmente nesse período de isolamento social, a fazer cada um, a sua parte:

Evite o acúmulo de água

Garrafas vazias devem ser colocadas com a boca para baixo. Se tiver pneus velhos, jogue-os fora. Caso o quintal seja propenso à formação de poças, mantê-lo limpo é um cuidado essencial para evitar a infestação do mosquito. Também é necessário lavar a vasilha de água do animal de estimação regularmente e manter fechadas tampas de caixas d'água e cisternas.

Colocar areia nos vasos de plantas

O uso de pratos nos vasos de plantas pode gerar acúmulo de água. Neste caso, as alternativas são: eliminar esse prato, lavá-lo regularmente ou colocar areia. A areia conserva a umidade e ao mesmo tempo evita que e o prato se torne um criadouro de mosquitos.

Ser consciente com seu lixo

O lixo, seja doméstico, seja sobra da varrição da casa, folhas da calçada ou quintal, não deve ser depositado em valas, valetas, margens de igarapé. Assim você ajuda a evitar a obstrução destes canais e até mesmo enchentes. Em casa, deixe as latas de lixo sempre bem tampadas.

Colocar desinfetante nos ralos

Ralos pequenos de cozinhas e banheiros raramente tornam-se foco de dengue devido ao constante uso de produtos químicos, como xampu, sabão e água sanitária. Entretanto, alguns ralos são rasos e conservam água estagnada em seu interior. Nesse caso, o ideal é que ele seja fechado com uma tela ou que seja higienizado com desinfetante.

Limpar as calhas

A larva do mosquito pode ser encontrada não apenas em grandes reservatórios, como caixas d'água, mas em locais que acumulam pequenas poças como calhas e canos. Eles devem ser checados todos os meses, uma vez que um leve entupimento pode criar reservatórios ideais para o desenvolvimento do Aedes aegypti.

Uma das estratégias que podem ser utilizadas é a aplicação do checklist 10 minutos contra o Aedes, que envolve a inspeção semanal, por 10 minutos, nas residências, com o objetivo de manter o ambiente livre de larvas do mosquito.

Estas são algumas ações que nos permitem planejar nosso futuro: com saúde, a partir do nosso cuidado conosco e do meio em que vivemos. O combate ao mosquito da dengue, zika e chikungunya é uma tarefa de todos nós!