Quarta-feira - Manaus - 12 de agosto de 2020 - 09:20

MANAUS-AM

CPI da Saúde solicita planejamento do Francisca Mendes para acabar com filas

 A fila hoje chega a cerca de 600 pacientes, de acordo com os membros da CPI

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 15 de julho - 14:40

O não funcionamento de alguns aparelhos também foi verificado pelos membros titulares da comissão durante as quase quatro horas de inspeção. 

Foto: Divulgação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) solicitou da diretoria do Hospital Universitário Francisca Mendes, durante inspeção realizada na manhã desta quarta-feira (15), que apresente, num prazo de 15 dias, planilhas com todo planejamento da unidade de saúde para solucionar grave problema relacionado à fila de espera para procedimentos cirúrgicos. De acordo com a comissão, a demanda em espera é desproporcional à necessidade de atendimento eficaz à população e foi bastante agravada no último ano pela falta de OPME’s - insumos utilizados em intervenções médicas. A fila hoje chega a cerca de 600 pacientes. 

“A fila está enorme e a espera desproporcional com a urgência que nosso estado deve lidar com a saúde. Por isso solicitamos hoje todo o planejamento pretendido por eles, já que argumentaram problemas também decorrentes da quebra de contrato com a Unisol e necessidade de novos contratos. Estamos acompanhando tudo isso para em breve dar aos pacientes o atendimento eficaz e célere que precisam”, afirmou o presidente da CPI, deputado estadual Delegado Péricles.

O não funcionamento de alguns aparelhos também foi verificado pelos membros titulares da comissão durante as quase quatro horas de inspeção. “Constatamos aqui que a ressonância não está funcionando e que a tomografia não tem realizado a angiotomografia. A diretoria do hospital nos garantiu solucionar essas questões dentro do mesmo prazo da entrega do planejamento. Vamos acompanhar”, continuou o parlamentar.

Participaram da reunião, o diretor do Hospital Francisca Mendes, Braz Rodrigues dos Santos; o defensor Público, Arlindo Arlindo Gonçalves; e representante do Sindicato dos Médicos, Darcley Dias, além do corpo técnico da unidade hospitalar e comissão.