Sexta-feira - Manaus - 30 de outubro de 2020 - 03:37

MANAUS-AM

CV e PCC travam nova guerra entre facções em Manaus

Um dos locais desse confronto tem sido o Centro da Cidade, onde entre agosto e setembro, ao menos sete pessoas foram assassinadas por conta dessa nova disputa. 

CARLA ALBUQUERQUE

Publicado em 18 de setembro - 16:00

O crime mais recente ocorreu na quarta-feira, 16/9, quando Márcia da Silva Marques foi executada com ao menos 16 tiros

Foto: Divulgação

As forças de segurança do Amazonas passaram a monitorar uma nova guerra entre facções criminosas em Manaus, mas desta vez, protagonizada entre o Comando Vermelho (CV) e o Primeiro Comando da Capital (PCC). Um dos locais desse confronto tem sido o Centro da Cidade, onde entre agosto e setembro, ao menos sete pessoas foram assassinadas por conta dessa nova disputa. 

Investigações das forças de segurança indicam que o conflito está sendo travado pelo traficante Felipe Batista Ribeiro, o “Anjinho”, principal líder do PCC no Estado. De acordo com a Polícia Civil (PC), ele passou a ter como aliado, o cunhado de ‘Zé Roberto’, Marcelo Frederico Laborda Júnior, o ‘Marcelinho’. Laborda comandava a área de tráfico no Centro de Manaus. 

No início de setembro, circulou pelas redes sociais dois vídeos de um homem, ainda não identificado pela polícia, que se auto intitulava membro do Terceiro Comando Puro. Empunhando uma arma de grosso calibre, ele fala em promover ataques e execuções em integrantes do Comando Vermelho, dos bairros Coroado e Centro. 

Conforme levantamento da polícia, a suspeita é que o vídeo não tenha sido gravado em Manaus, mas serviu como recado para os integrantes do PCC a fim de confrontar aliados do CV, que passaram a dominar boa parte do tráfico do Estado.

Centro

O delegado do 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP) Marcelo Martins informou que desde a prisão de Marcelinho, ocorrida em junho do ano passado, em Santa Catarina, o tráfico de drogas na área do Centro de Manaus, que era comandada por ele, passou a ser chefiado pelo traficante Anjinho, que é o principal representante do PCC, no Amazonas. 

Mas, após a prisão de Anjinho, efetuada pelo 24º Distrito Integrado de Manaus, no dia 13 de agosto, integrantes do Comando Vermelho tentaram tomar o domínio do tráfico daquela área da cidade, que é considerada uma das mais cobiçadas pelas facções. 

Investigações da Polícia Civil apontam que para manter Marcelinho afastado numa tentativa de retomada do tráfico, integrantes do CV ordenaram a morte do pai dele. Marcelo Frederico Laborda, 51, de fato foi executado, no dia 28 de agosto, no cruzamento da Rua Governador Vitório com Avenida Sete de Setembro. Ele foi morto com mais de 10 tiros. 

Após a morte do pai, segundo levantamento feito pela polícia, Marcelinho se aliou ao PCC, comandando pelo antigo rival, Anjinho. A partir da nova aliança criminosa, surgiram uma sequência de mortes na área central de Manaus. 

O crime mais recente ocorreu na noite da última quarta-feira, 16/9, quando Márcia da Silva Marques, 31, que estava grávida de seis meses, foi executada com ao menos 16 tiros, na Rua Lobo D’Almada, no Centro de Manaus. Todo crime praticado por ocupantes de um carro, foi filmado por câmeras de vigilância de um estabelecimento comercial. 

Depois da execução, fotografias da mulher passaram a circular pelas redes sociais com textos fazendo referência ao envolvimento dela com o Comando Vermelho e que o crime havia sido de autoria do PCC. O crime é investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).