Domingo - Manaus - 24 de janeiro de 2021 - 20:21

MANAUS-AM

Eleições 2020: David Almeida diz que está pronto para comandar Manaus

Depois de ser deputado estadual, presidente da Aleam e governador interino, David Almeida afirma que já tem experiência suficiente para administrar a capital. Ele assinala que está lutando contra grupos que comando o Estado há décadas e critica as administrações de Wilson Lima e Arthur Neto.

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 25 de novembro

David Almeida diz ser crítico à gestão de Wilson Lima, com quem deverá manter parceria institucional, caso seja eleito.

Foto: Divulgação

David Almeida (Avante) concorre pela primeira vez a Prefeitura de Manaus. Ele disputa o segundo turno das eleições municipais com Amazonino Mendes (Podemos). Em entrevista ao Toda Hora, o candidato ressalta que está disposto a resolver os problemas na cidade, como o transporte público, saneamento e segurança. David Almeida diz ser crítico à gestão de Wilson Lima, com quem deverá manter parceria institucional, caso seja eleito.

Segundo ele, Manaus sofre de vários males causados pela ‘má gestão de recursos’, mas que tem a capacidade de administrá-los, “colocando em prática ações destinadas a priorizar a eficiência da máquina pública e a busca constante da eficiência”.

Por que o senhor quer ser prefeito de Manaus?
Quero ser prefeito de Manaus para discutir com a população as melhores soluções para os problemas ainda existentes na cidade.  Sei como é não ter dinheiro para comprar o gás quando ele acaba na hora do almoço, o que é andar de ônibus nesta capital, o que é não ter infraestrutura, iluminação e segurança na minha rua. Por entender que posso mudar isso é que eu me coloquei à disposição dos manauaras como candidato nessa eleição. 

Qual o principal problema da cidade atualmente?
Manaus não sofre de um único mal, mas de vários, oriundos de um único núcleo, a má gestão dos recursos. Não se arrecada mal, mas se gasta mal. 

Tenho experiência em administrar recursos e acredito que a gestão David Almeida e Marcos Rotta pode otimizar os recursos disponíveis, fazer mais com menos, colocando em prática ações destinadas a priorizar a eficiência da máquina pública e a busca constante da eficiência. Com uma gestão eficiente é possível aplicar bem os recursos e proporcionar à população o acesso a bons serviços.

Como avalia a gestão do prefeito Arthur Virgílio Neto?
O prefeito foi avaliado duas vezes pelo voto popular. O atual prefeito teve alguns acertos sim, porém deixou diversos setores abandonados, como o transporte público por exemplo, que é um dos piores do Brasil. Porém não cabe mais avaliar o passado, mas sim o que podemos fazer para mudar a realidade da nossa cidade. É nisso que eu e Marcos Rotta estamos focados.  Vamos trabalhar focados no futuro, sem olhar pelo retrovisor, porque entendemos que o mais importante é saber o que podemos fazer para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Em caso de vitória, como será a relação com o Governo Bolsonaro e qual sua avaliação sobre o trabalho do presidente?
O nosso compromisso é com a promoção do bem-estar da nossa população, com o fortalecimento dos valores familiares e morais. Se eleito vou buscar as parcerias que se fizerem necessárias, tanto com o governo federal quanto estadual, para colocar em prática os projetos destinados a melhorar a qualidade de vida das pessoas, particularmente, das mais desamparadas.  

Qual sua opinião sobre o governo Wilson Lima?
Sempre fui um grande opositor da candidatura do governador Wilson Lima. Ele foi um personagem criado por Amazonino para tirar votos da minha candidatura na eleição passada e acabou sendo eleito sem nenhuma experiência. Eu sempre disse que ele era uma tragédia anunciada e agora ele se tornou uma tragédia comprovada. Pelo erro na eleição de 2018, todos os amazonenses estão pagando infelizmente.

Foto: Divulgação

Quais os principais pedidos que o senhor ouviu durante a campanha?
A população de Manaus sofre há anos nos mais diversos setores. Acredite, hoje ainda há cerca de 15 mil pessoas que não têm banheiro em casa, não têm acesso ao saneamento básico. Transporte coletivo, coleta de lixo, segurança, acesso à saúde, iluminação, infraestrutura, entre tantos outros. 

O que o senhor acha das pesquisas para prefeito de Manaus?
As pesquisas são úteis para podermos fazer uma avaliação do cenário, mas não podem ser encaradas como uma verdade absoluta. O primeiro turno dessas eleições, por exemplo, prova isso. A maioria das pesquisas apontava uma vantagem absurda, superior a 10, 12 pontos percentuais, de Amazonino sobre mim, mas terminamos a primeira fase do pleito praticamente empatados. 

Pretende cumprir os 4 anos de mandato ou se candidatar a governador em 2 anos? 
Meu compromisso é com a cidade de Manaus e como já anunciei, anteriormente, se eleito vou cumprir meu mandato para melhorar nossa cidade.

Como o senhor avalia a candidatura do seu adversário? 
Amazonino já contribuiu muito com Manaus e com o Amazonas. Mas, nessa vida, um dia chega a hora de parar. Ele, agora, não tem mais condições de trabalhar pela capital, de ser um prefeito presente como a cidade exige. Temos que avaliar quem pode fazer mais pela nossa cidade daqui para frente e ele não reúne mais as condições necessárias. 

Deixe uma mensagem para a população de Manaus.
No próximo domingo nós teremos uma nova oportunidade de escolher um caminho melhor para a nossa querida Manaus. Não vote motivado pela nostalgia de quem diz que já fez muito, mas sim entusiasmado, estimulado por quem pode, realmente, fazer mais a partir de agora. Manaus precisa de um prefeito presente, para discutir com a população as melhores soluções para os problemas identificados. Manaus precisa de um prefeito disposto a estar nas ruas, ouvindo e conhecendo os problemas de cada um e não alguém que pretende governar do conforto da sua casa. Faça a diferença e não se abstenha, escolha com consciência e sabedoria.