Domingo - Manaus - 9 de agosto de 2020 - 13:48

MUNDO

Estados Unidos intensificam sanções contra o Irã

Entre as principais autoridades iranianas que foram alvo das novas sanções estão Ali Shamjani, secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional, Mohammad Reza Ashtiani, vice-chefe de gabinete das Forças Armadas e Gholamreza Soleimani, chefe da milícia Basij, uma força voluntária leal ao regime. 

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 10 de janeiro - 14:26

Os Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira, 10/1, novas sanções contra o Irã, que visam a oito altos funcionários do regime que avançaram nos "objetivos de desestabilização" da República Islâmica, além dos maiores fabricantes de aço, alumínio, cobre e ferro do país. 

O governo Trump incluiu 17 produtores e empresas iranianas de mineração de metal, uma rede de três entidades com sede na China e nas Seychelles e um navio envolvido na compra, venda e transporte de produtos de metal iranianos, na lista de sanções, disse o secretário do Tesouro Steve Mnuchin em uma coletiva de imprensa.

Entre as principais autoridades iranianas que foram alvo das novas sanções estão Ali Shamjani, secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional, Mohammad Reza Ashtiani, vice-chefe de gabinete das Forças Armadas e Gholamreza Soleimani, chefe da milícia Basij, uma força voluntária leal ao regime. 

Mnuchin disse que autoridades e empresas foram alvo de sanções em resposta a ataques balísticos iranianos contra bases militares iraquianas, onde as forças dos EUA estão estacionadas. 

Esse ataque foi lançado depois que a agressão por drones dos EUA em Bagdá matou o general iraniano Qassem Soleimani. 

Mnuchin disse que as medidas que afetam a economia do Irã "continuarão até que o regime pare de financiar o terrorismo global e se comprometa a nunca ter armas nucleares".