Quinta-feira - Manaus - 2 de julho de 2020 - 05:43

BRASIL

Farsa de João de Deus inaugura núcleo de documentários de Pedro Bial na Globo

Em um trabalho de 18 meses, a equipe de Bial busca desvendar como funcionava a rede de proteção a João de Deus

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 22 de junho - 06:30

Em Nome de Deus mostra bastidores da prisão de João de Deus

foto: Divulgação

A Globo estreia nesta terça-feira (23) a série Em Nome de Deus, primeira produção de um núcleo de documentários comandado pelo jornalista Pedro Bial, o Conversa.doc. Em seis episódios de aproximadamente 50 minutos, o projeto traça toda a trajetória do médium João Teixeira de Faria, 77 anos, o João de Deus, que em 7 de dezembro de 2018 deixou de ser quase um santo e passou a ser visto como um cruel abusador e estuprador de mulheres, graças ao programa Conversa com Bial, da Globo.

O primeiro episódio é dedicado aos tensos bastidores do furo de reportagem de uma roteirista curiosa e de um apresentador cético. Nos demais, Em Nome de Deus se propõe ir a fundo e revelar como João de Deus conseguiu passar impune fazendo centenas de vítimas (mais de 350 o denunciaram), durante mais de quatro décadas, e ainda assim construiu e manteve uma imagem poderosa, de homem que fazia milagres, era adorado por celebridades como Xuxa Meneghel e amigo de gente importante em Brasília.

Em um trabalho de 18 meses, a equipe de Bial busca desvendar como funcionava a rede de proteção a João de Deus. Reúne em estúdio seis mulheres vítimas do médium, entre elas a própria filha, abusada aos 10 anos.

Vai à Holanda, onde vive a mulher que teve a coragem de fazer a primeira denúncia, e à cidade de Sedona, no Arizona (Estados Unidos), onde a polícia investigou um caso de abuso em 2010. Mostra que, em 2014, João de Deus foi personagem central de uma edição do 60 Minutes da Austrália, que lhe perguntou se já havia assediado sexualmente alguma seguidora --e ele respondeu: "A sua mãe".

"O fato é que, revendo a trajetória de João de Deus, você vê que ele deixou pistas e rastros dos seus malfeitos, mas nada acontecia. Era como se as pessoas não vissem, ou não quisessem acreditar, ou estavam fingindo que não estavam vendo", diz Pedro Bial na introdução do documentário. 

O documentário

Em Nome de Deus mostra esses bastidores e o que aconteceu depois, até a concessão, em março deste ano, de prisão domiciliar ao líder espiritural, condenado a 40 anos de reclusão. Também investiga outros crimes do médium e por que curandeiros como ele fazem tanto sucesso no Brasil.

Um sobrinho-neto de João de Deus revela que os copos de vidro que ele mastigava quando tinha sua mediunidade sob suspeita eram feitos de cristais de açúcar. E Xuxa Meneghel, uma das celebridades mais próximas a ele, dá um depoimento contundente, compartilhando toda a sua decepção.

TH VIDEO