Quarta-feira - Manaus - 19 de dezembro de 2018 - 05:42

MANAUS-AM

FVS confirma mais duas mortes por Sarampo no Amazonas; óbitos chegam a seis

Ao todo, o Estado já registrou seis mortes causadas pela doença; as vítimas são um bebê de 9 meses e um homem de 52 anos.

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 10 de outubro - 13:45

Ambos os casos não havia histórico de serem vacinados com a tríplice viral

Foto: Divulgação

Dois novos óbitos por Sarampo foram confirmados no Amazonas, pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS). As vítimas foram um bebê de 9 meses e um homem de 52 anos. Ao todo, o Estado já registrou seis mortes causadas pela doença.

As mortes relatadas no último boletim são de um bebê de 9 meses, oriundo de Roraima, que faleceu em março em Manaus, em decorrência de insuficiência respiratória causada pela doença; e de um homem de 52 anos, de Manacapuru, portador de comorbidade (hipertensão e diabetes tipo 2), com óbito registrado em agosto, por complicações ocasionados por sarampo. Ambos os casos não havia histórico de serem vacinados com a tríplice viral, a vacina que protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

Ao todo, o Estado tinha outros quatro casos confirmados de óbito – dois em Manaus e dois em Autazes. De acordo com o boletim, o Estado tem 10.305 casos notificados da doença, distribuídos em 47 municípios. São 1.629 casos confirmados de sarampo em 29 cidades, sendo 990 em Manaus, 323 em Manacapuru, 44 em Itacoatiara, 49 em Parintins, 39 em Coari, 35 em Iranduba, 24 em Autazes, 20 em Novo Airão, 16 em Presidente Figueiredo, 13 em Rio Preto da Eva, 06 em Tapauá e 01 em Barcelos.

Os municípios com o maior número de notificações são Manaus, com 8.108 casos, e Manacapuru, com 1.024. Itacoatiara tem 237 casos notificados, Iranduba tem 115, Coari tem 108, Parintins tem 97, Juruá tem 67, Autazes tem 50, Manaquiri tem 49, Rio Preto da Eva tem 47, Careiro e Presidente Figueiredo têm 42 cada e Novo Airão tem 38.

Notificações

Segundo a FVS, as ações contínuas de combate ao sarampo no Amazonas já estão dando resultado com a queda nas notificações de casos suspeitos da doença, nas últimas semanas. Conforme o órgão, nessa primeira semana de outubro houve uma redução de 42,36% nos casos notificados da doença, no Amazonas, em comparação com o mesmo período, em agosto.