Terça-feira - Manaus - 25 de fevereiro de 2020 - 05:33

BRASIL

Guedes sobre dólar alto: ''Doméstica estava indo para a Disney''

Com dólar nas alturas, Guedes diz que país mudou modelo econômico, tendo juros mais baixo e o câmbio mais alto. ''Não tem negócio de câmbio a R$1,80'', disse

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 13 de fevereiro - 08:11

Fala foi muito criticada na internet

foto: EBC

Após o dólar atingir o 4° recorde consecutivo, chegando a R$ 4,35, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o modelo econômico no país mudou, não sendo mais, segundo ele, composto por juros alto e câmbio baixo. Ao falar do assunto, Guedes disse que os brasileiros devem fazer mais turismo pelo país. "Não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Todo mundo indo para a Disney, empregada doméstica indo para a Disney, uma festa danada. Vai passear em Foz do Iguaçu, vai passear no Nordeste, está cheio de praia bonita. Vai conhecer onde o Roberto Carlos nasceu", disse. 

O ministro disse que o Brasil estava em um processo de desindustrialização acelerada, com o câmbio sobrevalorizado, atrapalhando as exportações e abrindo mais espaço para importações. "Pera aí, muda o modelo. O juros é um pouco mais baixo, mais investimento, mais consumo, e o câmbio é um pouco mais alto, o que é bom pra todo mundo, com mais exportação, mais substituição de importações. Inclusive em setores intensivos, como turismo. Vamos botar todo mundo pra conhecer o Brasil", afirmou.

Logo em seguida, no decorrer da fala, Guedes retomou a afirmação que fez em relação às empregadas domésticas, afirmando que quis dizer que o câmbio estava tão baixo que todo mundo estava indo para a Disney, inclusive as classes mais baixas. "Todo mundo tem que ir para a Disney um dia, mas não é quatro vezes ao ano. Porque com o dólar a R$ 1,80, tinha gente indo três vezes no ano. Vai em Foz do Iguaçu, conhece o Brasil e na quarta vez você vai na Disney", disse. 

O ministro disse que no ano passado o país teve R$ 70 bilhões a menos de juros e que para 2020 a previsão é de R$120 bilhões a menos. "Passamos daquele modelos de juros lá em cima e câmbio lá embaixo, vamos fazer o contrário", pontuou. 

As falas do ministro foram feitas durante discurso de encerramento do Seminário de Abertura do Ano Legislativo 2020, organizado pelo grupo Voto.