Domingo - Manaus - 21 de abril de 2019 - 00:49

MANAUS-AM

Homem é preso por aplicar golpes e desviar R$ 12 milhões

Golpes aconteceram em sua maioria no Piauí e Distrito Federal

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 12 de fevereiro - 16:05

Laercio foi indiciado por estelionato. Ele irá permanecer custodiado na carceragem do 17º DIP, aguardando os trâmites judiciais entre os estados do Amazonas e Piauí. 

Foto: Divulgação

Laercio Araújo de Sousa, 53, foi preso preventivamente por estelionato. De acordo com o delegado  Carlos Augusto Monteiro, titular do 17º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Laercio é investigado por enganar pessoas por meio de consórcios de imóveis, motocicletas e carros. 

A prisão aconteceu na última segunda-feira, 11/2, por volta das 11h30, pela equipe do 17º DIP, em uma casa situada na comunidade Rio Piorini, bairro Colônia Terra Nova, zona norte de Manaus. O mandado de prisão preventiva em nome de Laercio foi expedido  pela Comarca de Esperantina, no Estado do Piauí.

“Em contato com o delegado Leonardo Alexandre, titular da Delegacia Regional de Esperantina. Laercio formava grupos de 50 pessoas e quando elas eram contempladas ele ficava com os prêmios. O elemento, dono da empresa Esperantina Prêmios, fazia uso do empreendimento para praticar o crime. Com esse golpe ele enganou cerca de 950 pessoas, principalmente no Distrito Federal e Piauí”, explicou Monteiro.

Mãe envolvida

Conforme o titular do 17º DIP, toda a administração da Esperantina Prêmios era executada pela mãe de Laercio e pelo próprio infrator. O homem seria responsável por um desvio de R$ 12 milhões somente em Esperantina, fazendo uso de modalidade criminosa conhecida como “compra premiada”. Além disso, foi descoberta a existência de outra empresa no nome da mãe dele, apenas para a compra de motocicletas utilizadas nos golpes de consórcios.  

Monteiro ressaltou que Laercio se apresentava para as pessoas utilizando o nome do próprio filho dele.  Já em Manaus, o infrator estava usando o nome da sogra dele para efetuar a compra de semijoias, apreendidas com ele no dia da prisão. “Ele, possivelmente, usaria esse tipo de mercadoria para lavar o dinheiro que desviou por meio dos consórcios. A equipe do 17º DIP ainda está investigando se a compra desse material ocorreu de forma lícita”, pontuou.  

Os trabalhos em torno da prisão de Laercio contaram com o apoio da Delegacia Regional de Esperantina e Laboratório de Inteligência Cibernética do Departamento de Inteligência da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça (MJ).

Indiciamento

Laercio foi indiciado por estelionato. Ele irá permanecer custodiado na carceragem do 17º DIP, aguardando os trâmites judiciais entre os estados do Amazonas e Piauí.