Terça-feira - Manaus - 12 de novembro de 2019 - 22:39

MANAUS-AM

Homem suspeito de comprar votos para Wilson Lima é morto a tiros em Codajás

Diellison Wendril Alves Pinheiro, 28, conhecido como ‘Didi’ e o enteado dele, Gabriel dos Santos, 24, foram assassinados a tiros em uma casa no interior do Amazonas

CARLA ALBUQUERQUE

Publicado em 8 de novembro - 13:20

Diellison Wendril (E)  foi denunciado e preso com dinheiro, em outubro do ano passado. 

Foto: Reprodução

Diellison Wendril Alves Pinheiro, 28, conhecido como ‘Didi’ e o enteado dele, Gabriel dos Santos, 24, foram assassinados a tiros, na noite desta quinta-feira, 7/11, em Codajás (a 240 quilômetros de Manaus). O crime, segundo informações da Polícia Militar (PM) foi praticado por cinco homens ainda não identificados. O homem ficou conhecido ano passado, durante período eleitoral. Ele foi denunciado e preso com dinheiro, que segundo ele seria usado para comprar votos para o então candidato ao governo e atual governador, Wilson Lima (PSC).

Conforme informações da Polícia Militar, Didi e o enteado estavam em casa, quando foram surpreendidos pelos atiradores. Após o crime, os suspeitos fugiram sem ser identificados. De acordo com o diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), delegado Mariolino Brito, a suspeita é de que o crime esteja relacionado a briga entre facções.

Didi, segundo a polícia, era um dos homens suspeitos de comandar o tráfico de drogas no município e já tinha várias passagens pela polícia. Além disso, o homem chegou a ser preso, em outubro de 2018, durante operação ‘Navalha’, deflagrada pela Polícia Civil (PC).

No dia da prisão, a polícia apreendeu com eles drogas e R$ 17 mil em dinheiro. Em depoimento aos policiais, Diellison chegou a gravar um vídeo, onde afirmava que o dinheiro seria usado para a compra de votos. Disse, ainda, que o valor havia sido entregue a ele por um homem identificado como ‘Paulo’, que segundo ele atuava como intermediário do então candidato e atual governador Wilson Lima.

Apurações

Após a prisão de Diellison, advogados da coligação do ex-governador e candidato à reeleição Amazonino Mendes (PDT) entregaram ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), desembargador João Simões, uma notícia-crime e um pedido de cassação do registro ou do diploma do candidato Wilson Lima (PSC) e seu vice, Carlos Almeida (PRTB), por compra de votos.

O fato acontece a oito dias do segundo turno das eleições para governador do Amazonas.

De acordo com um dos advogados do ex-governador, Yuri Dantas, o TRE-AM declinou competência para a Comarca de Codajás, local onde o fato ocorreu. De acordo com ele, o processo está em andamento, mas agora como a morte do principal envolvido, tudo ficará mais difícil.