Quarta-feira - Manaus - 8 de julho de 2020 - 04:30

MANAUS-AM

José Ricardo lamenta decisão do PT para prefeitura: 'atropelos prejudicaram debate'

Na noite desta quarta-feira, 27/5, o deputado Sinésio Campos foi escolhido em votação interna como o pré-candidato do PT à Prefeitura de Manaus, nas próximas eleições. 

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 28 de mai - 15:41

José Ricardo afirmou que o PT nacional deverá manifestar seu posicionamento sobre Manaus.

Foto: Divulgação

Por meio de nota, o deputado federal pelo Amazonas José Ricardo Wendling (PT) se posicionou a respeito da votação interna como o pré-candidato do PT à Prefeitura de Manaus, ocorrida nesta quarta-feira, 27/5. Segundo ele, "o melhor caminho seria a unidade do PT e um amplo debate político interno", mas ocorreram "acordos políticos e atropelos" durante a escolha.

Nesta quarta-feira, participaram da disputa o deputado federal José Ricardo, que é o nome do partido que melhor aparece nas pesquisas eleitorais para o cargo, o deputado estadual Sinésio Campos e o vereador Sassá da Construção.

O primeiro turno da escolha terminou com José Ricardo com 21 votos, Sinésio Campos com 20 votos e Sassá com cinco votos. Nenhum deles conseguiu a quantidade de votos  necessários a escolha de pré-candidato, que seria 24 votos.

Foi realizado, então, o segundo turno. Nesta votação, Sassá apoiou Sinésio, que ficou com 25 votos. A maioria de delegados que apoiava José Ricardo deixou a reunião virtual e ele terminou com apenas dois votos.

"Coloquei meu nome e toda trajetória política à disposição do partido para essa disputa. Vários grupos internos confirmaram apoio à minha indicação, pelo qual agradeço muito. Dentre as três candidaturas postas, fui o mais votado", afirmou José Ricardo. "Para o 2º turno, deveria ter mais debates e tentativa de unidade. Acordos políticos e atropelos entre alguns grupos impediram essa possibilidade. Por isso, em protesto, vários dirigentes do PT de Manaus se retiraram da reunião".

O deputado federal José Ricardo ressaltou que a Direção Nacional do PT já tinha definido, meses atrás, que as candidaturas nas capitais e em cidades com mais de cem mil eleitores, obrigatoriamente, deveriam ser decididas pela Direção Nacional do Partido, sendo avaliadas e confirmadas, de acordo com as estratégias do partido, considerando o potencial eleitoral, inserção na sociedade e a trajetória de lutas em prol da população. Por isso, o PT nacional deverá manifestar seu posicionamento sobre Manaus.

"Certamente há interesses de fora do partido que não querem a minha candidatura. Mas, assim mesmo, continuo à disposição do partido para continuarmos a luta pelos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras e para melhorar a vida do povo da cidade de Manaus e do Estado do Amazonas", afirmou em nota.