Sexta-feira - Manaus - 29 de mai de 2020 - 21:32

MANAUS-AM

Líderes partidários devem indicar por escrito membros da CPI da Pandemia

O presidente da Aleam, Josué Neto, justificou a decisão de indicar novamente os membros como forma de prevenir possíveis desdobramentos judiciais.

SIGRID AVELINO

Publicado em 21 de mai - 15:27

Foto: Divulgação/Aleam

Os líderes partidários da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) devem definir os membros para a composição da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia. Além de investigar os recursos usados para o enfrentamento da pandemia, a comissão vai apurar a gestão da saúde nos últimos nove anos. 

Após decisão judicial, impetrada pela deputada Alessandra Campelo (MDB) membros da CPI chegaram a ser escolhidos em uma reunião fechada com alguns líderes partidário, na última quarta-feira, 20/05, mas os nomes precisaram ser indicados novamente. 

Nesta quinta-feira, 21/5, o presidente da Aleam, deputado Josué Neto (PRTB) pediu novas indicações, desta vez por escrito. O parlamentar justificou que os nomes deveriam ser entregues por escrito à Diretoria de Apoio Legislativo para ficarem registradas e também para afastar possíveis dúvidas quanto a essas indicações.

No documento, Josué informou que os cinco titulares que irão compor a CPI, a serem designados pela Presidência, obedecem à proporcionalidade partidária, segundo os blocos registrados na Mesa Diretora, conforme cálculos definidos pela assessoria técnica.

Josué justificou a decisão de indicar novamente os membros como forma de prevenir possíveis desdobramentos judiciais. “A fim de evitar maiores embates entre os colegas, inclusive a partir de desdobramentos judiciais já feitos, que se estenderiam no tempo e serviriam apenas frustrar os anseios da sociedade amazonense que clama por transparência e fiscalização séria dos praticados pelo Governo do Amazonas na gestão dos recursos da saúde, antes e depois da pandemia provocada pelo COVID-19, bem como visando melhor respaldar os atos desta Presidência com relação à necessidade de documentar as indicações das lideranças partidárias dos membros para compor a CPI da Pandemia”, finalizou.

Deputados

Assim que Josué leu o comunicado, Alessandra Campelo (MDB) questionou as indicações feitas no dia anterior. “E a reunião de ontem?” questionou.

Delegado Péricles (PSL), autor do pedido de instauração da CPI voltou a defender a proposta de investigar de forma transparente a área da saúde nos últimos nove anos. “Deixar bem claro para oposição que minha proposta da CPI não é para caçar bruxas, pra botar responsabilidade direta a alguém sem apurar fatos. Deixar bem claro pra base do governo que não é pra passar a mão de ninguém o que tem que ser visto e investigado tem que ser feito. Vamos investigar realmente o que aconteceu na saúde de 2011 para cá, para ajudar a população. É isso que nós temos que fazer. Nós sabemos a precariedade que é a saúde no nosso estado. A gente tem que buscar solução pra isso”, destacou Péricles.

Felipe Souza que no início da sessão disse que protocolaria retirada da assinatura dele para a instauração da CPI voltou atrás e comunicou que permaneceria com assinatura para que a pasta fosse investigada de fato. “Embora eu tenha sido desrespeitado no meu direito, embora eu não concorde com o que fizeram, embora vá ter uma nova reunião para se escolher novos membros e muito provavelmente eu serei sacado da CPI que é o que se desenha, ela segue. Ela segue com a minha assinatura para ficar bem claro para todos aqueles que estão nos assistindo, para todos os meus eleitores”, declarou.