Domingo - Manaus - 15 de setembro de 2019 - 22:27

BRASIL

Moeda comum Brasil-Argentina? Uma miragem distante por enquanto

Economistas e políticos de ambos os países reagiram com desconfiança e os memes da moeda peso-real rapidamente começaram a circular nas redes sociais

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 10 de junho - 09:51

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sugeriu no Twitter que os planos poderiam fazer com que o real se enfraquecesse e a inflação voltasse

Foto: Divu;gação

A sugestão do presidente Jair Bolsonaro de que as duas maiores economias da América do Sul possam ter uma moeda única, semelhante ao euro, foi recebida com ceticismo no Brasil e na Argentina.

Depois de encontrar seu colega Mauricio Macri em Buenos Aires na quinta-feira, Bolsonaro disse que os dois países estão dando um "primeiro passo" em direção ao "sonho de uma moeda única na região do Mercosul, o peso-real". Ele reforçou a sugestão em um evento no Rio de Janeiro na sexta-feira.

A ideia também foi discutida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e líderes empresariais em Buenos Aires, segundo o site do UOL. Guedes, que estava viajando com Bolsonaro, citou o exemplo da Alemanha e disse que os países envolvidos primeiro precisariam fazer ajustes fiscais e assumir riscos para então colher o benefício de maior competitividade.

Economistas e políticos de ambos os países reagiram com desconfiança e os memes da moeda peso-real rapidamente começaram a circular nas redes sociais.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sugeriu no Twitter que os planos poderiam fazer com que o real se enfraquecesse e a inflação voltasse. Na Argentina, Carlos Rodriguez, ex-secretário de política econômica e professor de economia da UCEMA, referiu-se a Bolsonaro e Macri como “um par ignorante, falando de tópicos que eles não conhecem para satisfazer demandas populistas de pessoas que não entendem”.

Em seu Twitter, Monica de Bolle, pesquisadora-sênior do Peterson Institute for International Economics e diretora do Programa de Estudos Latino Americanos da Johns Hopkins University publicou críticas à ideia:

"Seja Peso Real ou Real Peso, a ideia de Brasil e Argentina terem uma moeda comum é tão estúpida que não há nem por onde começar a argumentar". "Penso o seguinte: 1. A Argentina é das economias mais dolarizadas da AL. 2. Se querem moeda estável, porque não consideram a dolarização formal à la Equador?"

Preocupado com o possível ruído causado pela discussão, o banco central brasileiro emitiu uma declaração dizendo que "não há planos ou estudos em andamento para a união monetária com a Argentina".

Embora os planos de união monetária no Mercosul não sejam novos - os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Carlos Menem já discutiram sobre o assunto há duas décadas - a ideia agora vem em um momento difícil para ambas as economias. Em recessão por quase dois anos, a Argentina sofreu com uma desvalorização de 50% do peso em 2018. A economia brasileira tem crescido pouco mais de 1% ao ano desde que saiu de sua pior recessão em 2017.

Com certeza, tanto Guedes quanto o ministro das Finanças da Argentina, Nicolas Dujovne, disseram que a iniciativa levaria muito tempo para ser implementada, dada a necessária convergência das políticas fiscais, entre várias outras.

"Uma moeda comum seria inviável sem algumas reformas dramáticas em ambos os países e o cronograma para a implementação real provavelmente abrangeria várias administrações", disse Pablo Waldman, chefe de estratégia da INTL FCstone Argentina. “A essa altura, não é mais que uma miragem distante, na melhor das hipóteses.”

TH VIDEO