Terça-feira - Manaus - 22 de setembro de 2020 - 01:48

MANAUS-AM

Número de pedidos do seguro-desemprego no AM cai 20,8% em agosto

Foram feitos 4.992 pedidos do benefício no estado no último mês.

ADNEISON SEVERIANO

Publicado em 13 de setembro - 08:00

Setor de serviços continua liderando entre os segmentos com maior demanda de trabalhadores que solicitaram o benefício.

Foto: Agência Brasil

Agosto fechou com redução de 20,8% do número de requerimentos do seguro-desemprego de trabalhadores formais do Amazonas. Foram 4.992 pedidos no último mês, enquanto julho 6.303 solicitações do benefício foram feitas por trabalhadores que ficaram desempregados. Esse foi o terceiro mês consecutivo que a quantidade mensal registrou queda, após a retomada das atividades econômicas na pandemia da covid-19. Os dados são do painel da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, divulgados nesta sexta-feira, 11/9.

A série de redução começou em junho, quando a quantidade de solicitações de seguro-desemprego caiu pela primeira vez durante a pandemia no Amazonas, após três meses seguidos registrando aumento da demanda de requisições do benefício trabalhista. Essa redução é atribuída a flexibilização do isolamento social da covid-19 e a retomada das atividades econômicas. Desde dia 1º de junho o governo do Amazonas iniciou os ciclos de reabertura e já entraram em vigor em Manaus. Foi justamente a partir junho que houve uma desaceleração da demanda por seguro-desemprego por trabalhadores demitidos no estado, quando a queda atingiu 31,1%. Já em julho essa redução da quantidade de requerimentos foi de 9,5 no estado.

São 1.311 pedidos a menos a diferença de agosto em relação ao número de requisições de julho. Na primeira quinzena de julho foram feitos 2.395 requerimentos no Amazonas e na segunda quinzena do mesmo mês 2.597 pedidos de seguro-desemprego. Somente em Manaus foram 2.196 pedidos nos primeiros quinze dias de agosto e outros 2.352 na 2ª quinzena do mês.

Segundo o painel da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, os trabalhadores do sexo masculino foram os que mais solicitaram seguro-desemprego, totalizando 3.218 requisições do benefício em agosto. Esse volume corresponde 64,46% do total de pedidos do Amazonas. Já 1.774 trabalhadoras completam o grupo de pessoas desempregadas que solicitaram o benefício assistencial, ou seja, 35,54% do total.

A faixa etária de trabalhadores formais que mais requereu o seguro-desemprego no Amazonas foi de 30 a 39 anos, que concentrou 1.757 pedidos do benefício. A maioria dos trabalhadores que solicitou o seguro-desemprego no Amazonas tem Ensino Médio completo, são 3.587 desempregados com esse grau de instrução, que corresponde 71,9% do número total de requerimentos de agosto.

Já a faixa salarial predominante dos requerentes no território amazonense é de 1,1 a 1,5 salários mínimos. Nesse grupo estão 2.139 trabalhadores que solicitaram o seguro-desemprego. O valor médio das parcelas do seguro-desemprego para no estado no último mês foi de R$ 1.301,28.

Em agosto, os desempregados do setor de serviços foram maioria dentre os que solicitaram o benefício assistencial ao governo federal e totalizaram 2.208 requerimentos. O segmento de serviços do Amazonas vem concentrando maior número de trabalhadores formais do seguro-desemprego há dois meses consecutivos.

REQUERENTES POR SETOR DE ATIVIDADE NO AM

  1. Serviços: 44,23%
  2. Comércio: 25,8%
  3. Indústria: 19,91%
  4. Construção: 8,61%
  5. Agropecuária e agricultura: 1,44%

Quem tem direito ao seguro-desemprego?

Tem direito o trabalhador com carteira assinada, que foi demitido sem justa causa, incluindo casos de rescisão indireta (quando o empregado pede na Justiça a demissão). Os empregados domésticos também têm direito. O benefício pode ser pago ao funcionário com carteira assinada que teve o contrato de trabalho suspenso para participar de curso ou programa de qualificação profissional oferecido pelo patrão, ao pescador profissional durante o período do defeso e o trabalhador resgatado da condição análoga ao trabalho escravo.

O trabalhador tem até 120 dias após demissão para requerer o seguro-desemprego e o funcionário doméstico pode pedir de 7 a 90 dias após a demissão. Os requerimentos podem feitos de forma 100% digital e não há espera para concessão de benefício. Para dúvidas e esclarecimentos, o trabalhador pode acionar a Superintendência do Trabalho por email: trabalho.am@mte.gov.br ou por telefone (92) 3216-9254.

Pela internet é possível fazer o pedido do seguro-desemprego no site https://www.gov.br/pt-br/servicos/solicitar-o-seguro-desemprego ou pelo aplicativo Carteira de Trabalho Digital (disponíveis na App Store e Google Play).

Trabalhadores homens foram os que mais solicitaram seguro-desemprego.

Foto: Pedro Ventura / Agência Brasil