Sexta-feira - Manaus - 18 de setembro de 2020 - 23:01

ESPORTES

NFL recomeça com salários recordes e contrato de R$ 2,6 bilhões fechado

O destaque, claro, fica para Patrick Mahomes e o Kansas City Chiefs, atual campeão do Super Bowl

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 10 de setembro - 05:20

Jogadores renovaram seus contratos com os times

Foto: NFL

A temporada 2020 da NFL começa nesta quinta-feira (10) e alguns jogadores vão entrar em campo com uma pressão extra. Isso porque algumas franquias promoveram renovações que transformaram atletas nos mais pagos de suas posições na liga, e eles precisarão apresentar desempenho que corresponda ao aumento.

O destaque, claro, fica para o acordo entre Patrick Mahomes e o Kansas City Chiefs, atual campeão do Super Bowl. Consolidado na NFL e candidato a ser a nova cara do esporte por muitos anos, o quarterback acertou novo contrato até 2031 com a franquia para receber até 503 milhões de dólares (cerca de R$ 2,6 bilhões).

O contrato, que é o maior da história dos esportes americanos, deixa para trás o antigo maior salário da liga, o de Russell Wilson, do Seattle Seahawks, com 35 milhões de dólares (R$ 185,5 milhões) por temporada. Quando o novo contrato entrar em vigor, daqui a duas temporadas, Mahomes vai receber 45 milhões de dólares (R$ 238,50 milhões) por temporada.

O jogador dos Chiefs vai liderar a equipe na defesa do título a partir de amanhã. A estreia da temporada terá o duelo entre o atual campeão com o Houston Texans, às 21h20 (de Brasília), em Kansas City.

O duelo colocará frente a frente o dono do maior contrato da história da liga e o segundo jogador mais bem pago. Isso porque os Texans anunciaram na semana passada a renovação de contrato com o quarterback Deshaun Watson, que passará a receber 39 milhões de dólares (R$ 206,7 milhões) por temporada.

Enquanto o novo contrato de Mahomes não entra em vigência, Watson será o atleta mais bem pago da NFL.

Quem também assumiu o posto de mais bem pago da posição foi o tight end George Kittle, do San Francisco 49ers. O camisa 85 vai receber 75 milhões de dólares (R$ 397,5 milhões) em cinco anos. O salário de 15 milhões de dólares (R$ 79,5 milhões) anuais é o maior pago a um jogador da posição na história da NFL.

Aproveitando que atua em uma das posições mais valorizadas da liga atualmente, outro tight end que ganhou um belo aumento foi Travis Kelce, que defende o campeão Chiefs. O jogador está atrás de Kittle, mas por pouco. Kelce receberá 14,3 milhões de dólares (R$ 75,8 milhões) por ano até 2026.

Outra renovação que colocou o jogador no topo do ranking dos maiores salários foi a do running back Christian McCaffrey. O jogador vai receber do Carolina Panthers 64 milhões de dólares (R$ 339,2 milhões) pelos próximos quatro anos.

Os 16 milhões (R$ 84,8 milhões) anuais o tornam o jogador mais bem pago da posição na história da NFL, justamente quando os corredores estão em baixa e com contratos menos vantajosos na comparação com outras funções.

Quem também está sorrindo à toa é o wide receiver DeAndre Hopkins. O jogador acertou um novo contrato de dois anos por 54,5 milhões de dólares que entrará em vigor no final do atual vínculo de três temporadas com o Arizona Cardinals. Os 27,25 milhões de dólares anuais significam um recorde para um jogador que não seja quarterback.

No total, Hopkins receberá 94 milhões nos próximos cinco anos, ou seja, 18,8 milhões por temporada. Já o wide receiver Keenan Allen assinou um novo contrato de 80 milhões de dólares por quatro temporadas com o Los Angeles Chargers.

Quem também assumiu a liderança no ranking da posição foi o center Ryan Kelly. O jogador renovou contrato com o Indianapolis Colts e vai receber 12,4 milhões de dólares (R$ 65,7 milhões) por ano. O vínculo total é de 4 anos e 50 milhões de dólares (R$ 265 milhões).

Entre os defensores, Joey Bosa é atualmente o jogador mais bem pago após renovar contrato com o Los Angeles Chargers. O defensive end de 25 anos estendeu seu contrato por mais cinco anos e vai receber 135 milhões de dólares (R$ 715,5 milhões). Na média, serão 27 milhões de dólares (R$ 143,1 milhões) por ano. Bosa só não superou o valor total pago pelo Chicago Bears a Khalil Mack – 141 milhões (R$ 747,3 milhões) por seis anos de contrato.

Já Budda Baker renovou seu contrato com o Arizona Cardinals e se tornou o safety mais bem pago da liga com contrato de 59 milhões de dólares (R$ 312,7 milhões) pelos próximos quatro anos.