Quinta-feira - Manaus - 2 de julho de 2020 - 04:33

BRASIL

PIB do Brasil recua 1,5% no primeiro trimestre e regride ao patamar de 2012

Trata-se do pior resultado desde o 2º trimestre de 2015 (-2,1%). Resultado deixa o país à beira de uma nova recessão

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 29 de mai - 09:21

O consumo das famílias caiu 2% no primeiro trimestre de 2020

ARTE: Portal FGV

Afetado pelo início da pandemia e as primeiras medidas de distanciamento social no País, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro teve queda de 1,5% no primeiro trimestre de 2020, na comparação com último trimestre de 2019. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com o primeiro trimestre de 2019, o PIB apresentou recuo de 0,3% no primeiro trimestre de 2020. Ainda segundo o instituto, o PIB do primeiro trimestre deste ano totalizou R$ 1,8 trilhão.

O PIB da Indústria caiu 1,4% no primeiro trimestre de 2020 ante o quarto trimestre de 2019. Na comparação com o primeiro trimestre de 2019, o PIB da indústria mostrou queda de 0,1%.
O Produto Interno Bruto de Serviços caiu 1,6% no primeiro trimestre de 2020 ante o quarto trimestre do ano passado. Na comparação com o primeiro trimestre de 2019, a queda foi de 0,5%.

Já o PIB da Agropecuária subiu 0,6% no primeiro trimestre de 2020 ante o quarto trimestre de 2019, segundo o IBGE. Na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, foi registrada alta de 1,9%.

O consumo das famílias caiu 2% no primeiro trimestre de 2020 ante o quarto trimestre de 2019. Na comparação com o primeiro trimestre de 2019, o consumo das famílias mostrou recuo de 0,7%

O consumo do governo, por sua vez, subiu 0,2% no primeiro trimestre de 2020 ante o quarto trimestre de 2019. Na comparação com o primeiro trimestre de 2019, o consumo do governo se manteve estável (0,0%).

Veja os principais destaques do PIB no 1º trimestre:

  • Serviços: -1,6% (1ª queda desde o 4º trimestre de 2016)
  • Agropecuária: 0,6%
  • Indústria: -1,4% (1ª queda desde o 4º trimestre de 2018), quando foi -0,4%
  • Indústria extrativa: -3,2%
  • Construção civil: -2,4%
  • Consumo das famílias: -2% (1ª queda desde o 4º trimestre de 2016)
  • Consumo do governo: 0,2%
  • Investimentos: 3,1%
  • Exportação: -0,9%
  • Importação: 2,8%