Domingo - Manaus - 17 de fevereiro de 2019 - 14:21

MANAUS-AM

Polícia Militar faz buscas para prender envolvidos em ataque em Lábrea

Uma ambulância do serviço público de saúde, um carro funerário e materiais da Unidade Básica de Saúde (UBS) foram incendiados na ação.


REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 8 de fevereiro - 16:36

A ação criminosa foi uma retaliação às ações de combate a criminalidade.

Foto: Reprodução

A Polícia Militar do Amazonas (PMAM) faz buscas a cinco envolvidos em uma ação criminosa ocorrida no município de Lábrea, distante 852 quilômetros de Manaus, na madrugada desta sexta-feira, 08/02. Uma ambulância do serviço público de saúde, um carro funerário e materiais da Unidade Básica de Saúde (UBS) foram incendiados na ação. 

De acordo com o comandante-geral da PMAM, coronel PM Ayrton Norte, os cinco suspeitos já foram identificados, sendo que dois deles são adolescentes. "Todos serão responsabilizados na altura da lei", afirmou o comandante-geral.

“A Polícia Militar continua realizando buscas. Três deles estão nas matas, em uma área indígena”, informou o comandante-geral. “Logo nós vamos estar com eles presos e dar a resposta que a população precisa que é ver esses criminosos na cadeia. Nós não vamos recuar, nós vamos sufocar o tráfico e nós vamos continuar realizando as operações de forma contundente, tanto na capital quando no interior do Estado”.

Retaliação

Segundo Ayrton Norte, a ação criminosa em Lábrea foi uma retaliação às ações da Secretaria de Estado de Segurança Púbica (SSP-AM) no município para combater a criminalidade. Desde a semana passada, foi deflagrada uma operação no município com 18 policiais. São equipes das Polícia Civil e Militar, incluindo forças especializadas da Companhia de Operações Especiais (COE).

Ayrton Norte apontou que a operação no município, ainda em andamento, é exitosa. Na ação, foram detidos criminosos de facções e foram apreendidas drogas e armas. Por isso, a reação por parte dos criminosos na madrugada de sexta-feira (08/02).

“Vale ressaltar que outros municípios receberão as mesmas ações. Nossa metodologia agora é essa: atacar, sufocar e fazer com que os criminosos entendam, respeitem que o Estado é quem determina, que o Estado é quem manda e que ninguém está acima da lei”, declarou.

Os próximos municípios não serão informados para não atrapalhar o efeito surpresa da operação.