Sábado - Manaus - 4 de abril de 2020 - 16:22

MANAUS-AM

PM recebe 492 denúncias de descumprimento do decreto de prevenção ao Covid-19

A maioria das denúncias referia-se a bares (284), seguida de igrejas (83) e restaurantes (48). 

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 23 de março - 13:17

Desde sábado, os policiais estão nas ruas para garantir o cumprimento da determinação do governador.

Foto: Divulgação

A Polícia Militar do Amazonas recebeu 492 denúncias de estabelecimentos que estavam descumprindo o decreto do governador Wilson Lima que trata da suspensão do funcionamento de bares, restaurantes e templos religiosos por 15 dias. O decreto foi assinado no último sábado, 21/03, como medida protetiva de enfrentamento ao surto de coronavírus (Covid-19).

A maioria das denúncias referia-se a bares (284), seguida de igrejas (83) e restaurantes (48). Houve também denúncias sobre aglomeração de pessoas em campos de futebol, festas em residências e casas de eventos. Do total de denúncias, em 105 os policiais encontraram os estabelecimentos fechados. 

Desde o sábado, sob a coordenação do secretário de Segurança, coronel Louismar Bonates, e do comandante-geral da Polícia Militar do Amazonas, os policiais estão nas ruas para garantir o cumprimento da determinação do governador. No estado há 26 casos confirmados de coronavírus.

Os policiais têm vistoriado os estabelecimentos. A medida faz parte das ações temporárias para evitar a circulação do vírus no estado, conforme recomendação do Comitê Intersetorial de Enfrentamento e Combate ao Covid-19.

Publicado em edição extra no Diário Oficial, o Decreto 42.099 prevê a suspensão do funcionamento de todos os restaurantes, bares, lanchonetes, praças de alimentação e similares, exceto os que funcionam no interior de hotéis e pousadas em atendimento aos hóspedes.

Também está suspenso o funcionamento de boates, casas de shows, casas de eventos e recepções, salões de festas, parques de diversão, circos, igrejas, templos religiosos e lojas maçônicas.

Denúncias

As denúncias podem ser feitas ao serviço emergencial 190. Os servidores têm, inclusive, orientado a população, uma vez que nem sempre há necessidade do deslocamento de uma viatura.