Domingo - Manaus - 17 de janeiro de 2021 - 23:45

MUNDO

Presidente eleito dos Estados Unidos, Biden recebe hoje segunda dose de vacina contra covid-19

As duas vacinas aprovadas até agora pelas autoridades sanitárias americanas - Pfizer/BioNtech e Moderna - exigem duas doses separadas por três, ou quatro semanas, respectivamente. 

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 11 de janeiro - 09:39

Sua primeira injeção foi transmitida ao vivo pela televisão em 21 de dezembro passado para gerar confiança e motivar o público a se vacinar. 

Foto: ALEX EDELMAN / AFP

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, receberá sua segunda dose da vacina anticovid-19 nesta segunda-feira (11), anunciou seu gabinete no domingo (10). 

Sua primeira injeção foi transmitida ao vivo pela televisão em 21 de dezembro passado para gerar confiança e motivar o público a se vacinar. 

Biden, de 78 anos, disse aos americanos que "não havia nada para se preocupar", ao receber a vacina da Pfizer no Hospital Christiana em Newark, em Delaware (leste).

Sua equipe confirmou neste domingo que a segunda inoculação também será feita diante das câmeras.

Mais de 374.000 pessoas morreram, devido à covid-19 nos Estados Unidos. 

Na última sexta-feira (8), Biden criticou o presidente Donald Trump pelo início conturbado da campanha de vacinação, que ele chamou de "paródia".

Cerca de 6,7 milhões de americanos já receberam a primeira dose, bem abaixo dos 20 milhões prometidos por Trump até o final de 2020. Em um país como os Estados Unidos, onde já foram distribuídas 22,1 milhões de doses, o desafio logístico para chegar à população de risco e aos profissionais de saúde é enorme. 

As duas vacinas aprovadas até agora pelas autoridades sanitárias americanas - Pfizer/BioNtech e Moderna - exigem duas doses separadas por três, ou quatro semanas, respectivamente. 

Biden, que assume o cargo em 20 de janeiro próximo, anunciou que planeja distribuir todas as doses disponíveis, em vez de reter a metade para garantir que cada pessoa receba sua dose de reforço, como indica o protocolo atual.

bgs/to/tly/mr/tt

© Agence France-Presse

                

FONTE: AFP