Terça-feira - Manaus - 21 de mai de 2019 - 23:39

MANAUS-AM

Presidiário monitorado por tornozeleira é encontrado pela polícia sem dispositivo

Emiliano Ferreira Neto, 21, voltou a ser recolhido por assaltar um gari

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 15 de mai - 12:36

Emiliano foi preso e Mateus continua sendo procurado

Foto: PM

Carla Albuquerque - Da Redação

O presidiário Emiliano Ferreira Neto, 21, foi preso pela Polícia Civil (PC) por suspeita de ter assaltado, no dia 1º de abril, seis agentes de limpeza pública, no Jorge Teixeira, na zona Leste de Manaus. De acordo com a PC, o homem era monitorado por tornozeleira eletrônica, mas no momento da prisão estava sem o dispositivo.

Conforme a PC, Emiliano foi preso pelos policiais civis do 30º Distrito Integrado de Polícia (DIP), em cumprimento a mandado de prisão preventiva por roubo majorado (que assim se caracteriza por haver o agente exercido a violência ou a ameaça com emprego de arma). Ele foi localizado, na tarde de segunda-feira, 13/5, por volta das 15h, na casa dele, na Travessa 13 de outubro, no Jorge Teixeira, zona leste de Manaus.

A ordem judicial foi expedida no dia 9 de maio deste ano, pela juíza Margareth Rose Cruz Hoagen, da 4ª Vara Criminal. 

De acordo com o delegado  do 30º DIP, Torquato Mozer, no dia do crime, Emiliano e o outro suspeito identificado pela polícia como Mateus dos Santos Bittencourt, 19, estavam em uma motocicleta quando abordaram seis agentes de limpeza pública.

Os agentes estavam trabalhando, quando foram rendidos e roubados pela dupla. Os suspeitos roubaram vários pertences das vítimas.  

Segundo Mozer, os infratores já são conhecidos pela polícia por praticarem roubos a ônibus coletivos e a pedestres naquela zona da cidade. Ainda de acordo com o delegado, Emiliano já responde por dois roubos, um porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e associação criminosa.

Conforme o delegado, Emiliano estava sendo monitorado por tornozeleira eletrônica, mas havia rompido o equipamento. 

Emiliano foi indiciado por roubo majorado e associação criminosa. Ao término dos procedimentos cabíveis, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde deverá ficar à disposição da Justiça.