Terça-feira - Manaus - 1 de dezembro de 2020 - 08:01

MANAUS-AM

Professores da rede pública do estado cobram abertura de CPI da Educação na Aleam

Até o momento, assinaram a CPI: Wilker Barreto, Dermilson Chagas, Serafim Corrêa (PSB), Josué Neto (PRTB), Fausto Júnior (PRTB), Sinésio Campos (PT) e Delegado Péricles (PSL).

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 20 de outubro - 14:25

Helma Sampaio, coordenadora da Asprom, disse que a Casa Legislativa precisa ter um compromisso com a categoria da educação. 

Foto: Danilo Mello/ALEAM

Professores da rede pública do estado ligados ao Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical) estiveram nesta terça-feira, 20/10, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) defendendo a abertura de uma Comissão Parlamentares de Inquérito para investigar a Educação no Estado. 

Um requerimento de abertura já circula entre os parlamentares. A proposta é de autoria dos deputados Dermilson Chagas (Podemos) e Wilker Barreto (Podemos), para investigar os gastos de mais R$ 130 milhões feitos com dispensa de licitação e contratos emergenciais pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). No momento, está paralisada desde julho deste ano, após a mesma ter entrado em conflito com a CPI da Saúde, com o pedido de impeachment do governador Wilson Lima e posteriormente com a retirada da assinatura do deputado Augusto Ferraz. 

Com os trabalhos da CPI da saúde encerrado e após o impeachment de Wilson ter sido arquivado, os professores pedem agora a instalação da CPI da Educação que precisa de apenas uma assinatura para ser instalada. 

A coordenadora da Asprom, Helma Pereira Sampaio por meio da cessão de tempo concedida pelo deputado Dermilson para falar em tribuna, disse que a Casa Legislativa precisa ter um compromisso com a categoria da educação. “Não há mais condições de protelar o inicio da CPI para investigar os gastos do estado com a educação. A CPI da saúde mostrou casos de corrupção, imagina na educação. O que será que está sendo feito? Então temos motivos para acreditar que existem desvios na educação. E a categoria precisa de uma resposta. Não vamos admitir corrupção”, disse. 

Ainda em sua fala, Helma relata que os professores estão sendo alvos de retaliação por parte do governo por terem aderido a greve contra o retorno das aulas presenciais pela o grande número de casos de covid-19 no Amazonas. “Ameaçam tirar o pão da mesa da família dos educadores se não cumprirem a ordem de darem aula presencial nas salas, fazendo com fiquem entre a cruz e a espada”. 

Assinatura CPI

Para o deputado Dermilson, o foco agora será em dialogar com os parlamentares para garantir a assinatura que falta para instalar a CPI da Educação. “Temos muitas denuncias e queremos comprovar se isso que chegou até nós, é de fato, verdadeiro. Agora vamos conversar com todos e se tudo der certo, vamos conseguir instalar”, disse.