Domingo - Manaus - 13 de outubro de 2019 - 21:05

MANAUS-AM

Fracos protestos marcam greve geral em diferentes bairros de Manaus

A Greve Geral foi convocada pelas centrais sindicais brasileiras no dia 1º de maio - Dia Internacional dos Trabalhadores

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 14 de junho - 10:34

A Praça da Polícia, no Centro de Manaus virou área de concentração dos bancários

Fotos: Divulgação

Carla Albuquerque - Da Redação

Trabalhadores de vários seguimentos do serviço público iniciaram, na manhã desta sexta-feira, 14/6, em três diferentes locais de Manaus, manifestações contra ações do Governo Federal, principalmente contra a reforma da previdência. O movimento geral está marcado para as 15h, na Praça da Saudade, no Centro da cidade.

Logo no início da manhã, funcionários da refinaria Isaac Sabbá, no Distrito, na zona Sul, realizaram uma paralização pacifica. Alunos, professores e técnicos administrativos da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) também fizeram mobilização. Eles chamaram o protesto de 'Bosque da Resistência'.

Os manifestantes da Ufam se concentraram, por volta das 7h30, em frente à entrada do Campus, na Avenida General Rodrigo Otávio, também na zona Sul. Além da reforma da previdência, também protestam contra os cortes das verbas federais da educação.  

Já a Praça da Polícia, no Centro de Manaus virou área de concentração dos bancários. De acordo com o presidente do sindicato dos Bancários do Amazonas, Nindberg Barbosa, a adesão é facultativa, mas alertou aos usuários que pretendem ir as agências nesta sexta-feira, que o trabalho está prejudicado.

De acordo com Nindberg, os protestos são uma forma de chamar a atenção do Governo em relação a reforma da previdência. “É um absurdo uma pessoa que contribui receber menos do que alguém que está recluso em uma unidade prisional”, destacou.

Sobre a greve

A Greve Geral foi convocada pelas centrais sindicais brasileiras no dia 1º de maio - Dia Internacional dos Trabalhadores. O objetivo é que sejam paralisados os locais de trabalho, estudo, comércio, bancos e circulação de mercadorias. Em Manaus, a paralização geral está marcada para as 13h, na Praça da Saudade, no Centro. 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários, Nindberg Barbosa, no Centro, a manifestação é itinerante. "Estamos passando com carro de som fazendo um chamamento para o ápice da manifestação que ocorre às 15h, na Praça da Saudade", informou. 

Protesto na Ufam foi chamado de 'Bosque da Resistência'.