Domingo - Manaus - 5 de julho de 2020 - 15:31

MANAUS-AM

Setenta e três farmácias do AM já aderiram à campanha contra violência doméstica

Campanha foi lançada nacionalmente neste mês de junho e por meio dela, estabelecimentos farmacêuticos podem ser procurados por vítimas de violência que necessitam de auxílio.

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 29 de junho - 14:00

Vítima podem apresentar o símbolo da letra "X" em uma das mãos para que o atendente ou farmacêutico acione uma autoridade policial

Foto: Divulgação/TJAM

Setenta e três farmácias e drogarias que funcionam no Amazonas já aderiram à campanha "Sinal Vermelho para a Violência Doméstica", de iniciativa da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) e de órgãos parceiros, entre os quais o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) e o Conselho Regional de Farmácia (CRF-AM).

Lançada nacionalmente no último dia 10 de junho, por meio da campanha, estabelecimentos farmacêuticos podem ser procurados por vítimas de violência que precisam de auxílio, bastando à vítima apresentar o símbolo da letra "X" em uma das mãos para que o atendente ou farmacêutico acione uma autoridade policial para lhe prestar o devido auxílio.

O balanço com o número de estabelecimentos que já aderiram à campanha no Estado foi divulgado neste domingo pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), por meio da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar.

Entre os 73 estabelecimentos que fizeram a adesão, estão as Drogarias Santo Remédio (com 46 unidades na capital); as Drogarias Pague Menos (com 19 unidades em Manaus, 1 em Manacapuru, 1 em Itacoatiara e 1 em Parintins); as Drogarias Riachão (4 unidades em Manaus) e a Drogaria Pharmamed (1 unidade em Manaus).

À frente da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, a desembargadora Carla Reis - que nesta semana assumirá a vice-presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) - destacou a iniciativa dos proprietários e administradores das farmácias que já aderiram à causa e comentou que a mobilização é de fundamental importância. "Queremos destacar o apoio destes 73 estabelecimentos que, no Amazonas, compreenderam a importância desta mobilização nacional e aproveitamos este momento para mencionar o quão importante, neste período de pandemia, é a adesão à causa, pois, assim fazendo, as farmácias prestam um enorme serviço à sociedade, às famílias e às inúmeras mulheres vítimas de violência doméstica", comentou a desembargadora.

O presidente do Conselho Regional de Farmácia do Amazonas (CRF-AM), Jardel Inácio, citou que o órgão tem estimulado a participação dos grupos empresariais, e mencionou que a adesão à campanha é um compromisso social. “A violência contra a mulher é das coisas mais covardes que existem na sociedade. Um dos crimes que mais revolta qualquer pessoa que tenha seus valores cidadãos. É um dever social de todos e de todas combater este tipo de atitude, e por isso acreditamos que os profissionais farmacêuticos podem auxiliar nesta importante missão. Participar desta campanha é um ato cidadão e que vai ajudar a salvar mulheres que passam por esta situação em suas casas e, muitas vezes, não sabem a quem recorrer por medo”, afirmou o presidente do CRF-AM.

Para aderir à campanha, basta o empresário/farmacêutico acessar o endereço eletrônico: https://www.amb.com.br/sinalvermelho, no qual constam todas as instruções necessárias.