Sábado - Manaus - 14 de dezembro de 2019 - 15:56

MANAUS-AM

Vazante do Rio Negro já começou; cheia foi a sétima maior já registrada

É possível que as águas ainda voltem a subir com o fenômeno do repiquete, que é uma espécie de subida rápida do rio

REDAÇÃO TODA HORA

Publicado em 28 de junho - 10:27

Ruas do Centro continuam alagadas 

Foto: Divulgação

Carla Albuquerque - Da Redação

As águas do rio Negro, em Manaus, já baixaram seis centímetros, nos últimos três dias e atingiu, nesta sexta-feira, 28/6, a marca de 29,36 metros. De acordo com o engenheiro do Porto de Manaus Valderino Pereira, a descida é sinal da vazante, que normalmente, se inicia a partir da segunda quinzena de junho.  
 
Até a última terça-feira, 25/6, o rio Negro seguia na marca de 29,42m, alcançando a sétima maior cheia já registrada no Estado. Conforme explicou Valderino, é possível que as águas ainda voltem a subir com o fenômeno do repiquete, que é uma espécie de subida rápida do rio.
 
“Ano passado não tivemos repiquete. É provável que esse ano também não tenha, mas como se tratando de rio, tudo é possível”, disse.  
 
De acordo com registros de medição do rio Negro, na quarta-feira, o nível foi cotado em 29.41, mas na quinta-feira, houve uma queda de 3 centímetros. Já nesta sexta-feira, baixou mais 2cm. “Essa vazante deve permanecer até o mês de outubro, quando entra na normalidade”, disse Valderino.

No Centro de Manaus, as ruas que foram alagadas pela subida do rio continuam interditadas. A expectativa é de que sejam desobstruídas em, no máximo, dez dias.